Congregações

Irmãs Xaverianas

As Irmãs Xaverianas Missionárias de Maria estão na Paróquia desde 1975, e seu foco principal é a formação humana e cristã básica e inicial das postulantes e noviças.

A casa de formação recebe moças geralmente a partir dos 20 anos, as quais permanecem no postulado, por dois anos e no noviciado por mais dois anos e meio, período em que fazem a faculdade de Teologia.

Após este período as moças fazem sua Profissão Religiosa, e na sequência são inseridas em uma das comunidades Xaverianas onde possa servir melhor o Reino de Deus e concluir sua formação.

Além da formação específica, as moças são inseridas na comunidade onde dedicam-se à catequese, liturgia, visita às famílias, solidariedade espiritual, Infância Missionária, colaboração em festas, enfim, na vida comunitária.

Atualmente, a casa possui três jovens, duas das quais postulantes.

História

A família Xaveriana nasceu em Parma, na Itália, em 1895, fundada pelo Padre Guido Maria Conforti, que queria dar continuidade ao sonho de São Francisco Xavier de evangelizar a China.

Conforti pensava também em fundar uma congregação feminina com a mesma finalidade. Este projeto veio a se realizar pela iniciativa do padre xaveriano Giacomo Spagnolo e de Celestina Bottego em maio de 1944, com a congregação das Missionárias de Maria – Xaverianas.

Atualmente, são cerca de 900 xaverianos e 250 xaverianas presentes em 19 países.

No Brasil os Xaverianos atuam desde 1953, nos Estados do Paraná, São Paulo, Minas Gerais e do Pará.

A missão dos Xaverianos é o anúncio da Boa Nova do Reino de Deus pelo mundo inteiro onde ele ainda não é conhecido. É uma congregação de pessoas que doam sua vida para a missão além fronteiras.

Para conhecer mais:

www.xaverianos.org.br

www.xaverianas.com

Congregação Mariana

A Congregação Mariana na Comunidade São João Batista teve sua fundação aprovada no dia 26 de junho de 1955, e tem como padroeira Nossa Senhora Divina Pastora, de acordo com o Documento da Agregação Canônica emitido pela Prima Primaria em Roma. Nesta época e até 1967, as diversas Congregações de todas as partes do mundo, eram agregadas a Congregação Mariana do Colégio Romano, erigida canonicamente, em 1584, pela Bula “Omnipotentis Dei”, do Papa Gregório XIII, com o título de Prima Primaria.

Atualmente, as Congregações Marianas do Brasil são erigidas pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil que lhes aprova a Regra da Vida.

A Congregação Mariana é uma associação pública de leigos católicos, que buscam seguir a Jesus Cristo e têm uma devoção especial a Nossa Senhora. Sua meta é a santidade pessoal.

Naquela época, somente os homens podiam participar da Congregação Mariana, assim, as moças solteiras fundaram concomitantemente, a Pia União das Filhas de Maria, e as senhoras casadas fundaram a Congregação do Sagrado Coração de Jesus, com os mesmos objetivos dos Marianos. Estas Congregações ainda existem, mas, atualmente não há esta divisão na Congregação Mariana, são consideradas mistas.

Os congregados são reconhecidos pelo uso da fita azul que usam no pescoço (cor do manto de Virgem Maria), cujas extremidades encerram uma medalha com a imagem de Nosso Senhor Jesus Cristo de um lado de outro da Mãe Santíssima.

Desde sua fundação, os congregados da Comunidade São João e da Pia União das Filhas de Maria sempre tiveram atuação marcante tanto aos necessitados como em festas, bingos, terços, liturgias, obras sociais e a entidades carentes.

Hoje existem 37 Congregações Marianas na Arquidiocese de Curitiba as quais estão divididas em sete setores.