História

Como tudo começou…

No ano de 1957 a ordem dos padres Capuchinhos do Paraná e Santa Catarina iniciaram a busca por um terreno no bairro Vista Alegre e Jardim Mercês onde pudessem construir uma igreja.

Naquela época o Sr. Vicente Viezzer sugeriu um terreno no bairro Vista Alegre com área de 4.214,65 m2, o qual verificou-se apto para o objetivo. Pelo esforço e interesse do Frei Agostinho Sartori, de Capinzal, que iniciou as negociações, o terreno foi doado pela Prefeitura Municipal de Curitiba, durante a gestão do então prefeito Iberê de Matos. As negociações foram continuadas pelo Frei Gabriel de Antonio Prado e concluídas pelo Frei Fidelis de Colombo.

Em 1962, no dia 18 de março, Frei Agostinho, juntamente com Frei Cornélio, de Aratiba, celebravam a primeira missa no local, para a qual estiveram presentes pouco mais de 20 pessoas, contando com a presença das Irmãs e crianças do Lar das Meninas.

No local havia uma pequena escola, de propriedade da Sra. Maria Viezzer Hermann, que passou a servir de templo, ao passo que os trabalhos de nivelamento e terraplanagem eram iniciados. Tais serviços foram possíveis graças ao empenho de Frei Fidelis e Frei Cornélio junto ao colaborativo e então prefeito Ivo Arzua Pereira.

Os primeiros festejos foram realizados ali em 10 de junho de 1962, quando foi realizada missa campal, colocação e benção da cruz; atos celebrados pelo vigário, Frei Fidelis de Colombo. O objetivo da festa foi dar início às obras do Grupo Escolar com a Capela em anexo.

A partir dessa época, aos domingos um padre das Mercês celebrava a missa na Escola “Bom Pastor”.

No entanto, as obras não seriam de todo contínuas. Somente com a iniciativa do Frei Rafael de Lacerdópolis, as atividades foram retomadas e criou-se uma Comissão que seria responsável por levar as obras até sua conclusão.

A Comissão foi criada em 1963 e contou com a colaboração dos senhores João Dales Carbonar, presidente; Vicente Viezzer, vice-presidente; Guarino Anzolim, 1º tesoureiro; André Abjut, 2º tesoureiro; Fabriciano Souza e Ulisses Odilom Litz, secretários e Cipriano Stamburt, supervisor.

Em 1965 Frei Rafael deixou a Capela tendo assumido as atividades o Frei Casemiro de Orleans, o qual, ainda naquele ano, iniciou uma campanha para aquisição dos bancos.

No ano seguinte foi feita a ampliação do Grupo Escolar e o arrendamento da Casa Paroquial.

Assim, no dia 22 de fevereiro de 1968, na sede do Arcebispado de Curitiba, Dom Manoel da Silveira D´Elboux, arcebispo metropolitano, lavrou o Decreto de criação da Paróquia da “Transfiguração de Nosso Senhor Jesus Cristo, de Vista Alegre, sub-bairro das Mercês”.

A Inauguração de fato

A instalação da nova Paróquia aconteceu no dia 3 de março de 1968, no pátio do Grupo Escolar “Bom Pastor”. Para a ocasião estiveram presentes o Arcebispo Dom Manoel; o então Prefeito de Curitiba, Omar Sabbag; o Superior Regional dos Padres Xaverianos, Padre José Morandi; o vereador Menotti Caprilhone, o representante da Assembléia Legislativa, Miltom Anselmo; inúmeros padres, irmãs e membros da nova paróquia.

Neste mesmo dia, tomou posse o Primeiro Vigário, Padre Natálio Fornasier, o qual marcava a volta dos padres Xaverianos à cidade de Curitiba, após oito anos de ausência.

A nova Paróquia abrangia os bairros de Vista Alegre, Jardim Mercês, São João do Barigüi e parte do Pilarzinho.

O Decreto da criação da nova Paróquia

“Considerando que, cada vez mais cresce a população de Curitiba e querendo, assim, dar mais assistência espiritual à significativa parcela do rebanho confiado a nossa paternal solicitude, de acordo com as diretrizes emanadas da Sé Apostólica, após ouvir o parecer do Colendo Cabido Metropolitano e dos Reverendíssimos Senhores Vigários de Nossa Senhora das Mercês e de Santa Felicidade, por esse nosso Decreto, usando da jurisdição ordinária, segundo os cânones 1427 e 1428 do Código de Direito Canônico, havemos por bem criar, como de fato criamos, a Paróquia da “Transfiguração de Nosso Senhor”, no bairro das Mercês, em Vista Alegre, nesta cidade de Curitiba”.

Após definir os limites abrangidos pelo novo órgão da Igreja, o mesmo Decreto ainda determinou:

“Servirá de Matriz da Nova Paróquia, até se construa a igreja definitiva, a atual capela que terá todas as prerrogativas e privilégios próprios das matrizes.

Terá, assim, um Sacrário onde se conserve, com a devida decência, verdadeiro culto e profunda reverência, o tesouro precioso do Santíssimo Sacramento, “servatis omnibus servandis”; possuirá também Pia Batismal fixa, com tudo o que é necessário à administração solene do Batismo e terá, enfim, tudo o que se requer em matriz regularmente provida.

Mandamos, ademais, seja a Festa do Titular celebrada todos os anos, com solenidade devida e verdadeiro espírito de devoção e piedade.

Ordenamos, além disso, que seja criado o Arquivo da Nova Paróquia, possuindo o mesmo, todos os livros e objetos que o mesmo deve conter.

Mandamos, finalmente, que se observe com rigor tudo o mais que, com respeito às Paróquias, é determinado pelo Código de Direito Canônico, por disposições arquidiocesanas, legítimos costumes e orientações da pastoral de conjunto.

Esse Nosso Decreto seja transcrito no livro próprio de Nossa Cúria Metropolitana e nos livros de Tombo da nova Paróquia e nos das Paróquias das quais foi desmembrada.”

 Os primeiros passos

O Padre Natálio, que ainda morava com os Freis Capuchinhos e realizava suas refeições no Lar das Meninas, recebeu naquele dia 3 de março de 1968 um grande desafio: a jurisdição de uma Paróquia onde tudo estava por fazer.

Já no ano seguinte, foi realizada a primeira visita Pastoral, de 13 a 20 de abril, por Dom Pedro Fedalto, Bispo Auxiliar de Curitiba.

Em 1970, após uma espera de seis meses a Paróquia da Transfiguração passou a funcionar numa casa à rua Vitório Viezzer, a qual abrigava os padres e estudantes de filosofia, e começava-se a construção da Casa da Comunidade Xaveriana, mais tarde vindo a ser o Seminário Xaveriano.

Ao final deste ano, com a colaboração intensa dos seminaristas e das irmãs Vicentinas as primeiras comunhões foram realizadas na Paróquia.

Em março de 1971 o terreno onde se encontrava o Grupo Escolar Bom Pastor passou a ser do governo e em troca foi conseguido outro terreno onde seria construída a nova igreja.

No dia 14 daquele mês, acontecia o lançamento da pedra fundamental da futura matriz.

Com projeto do arquiteto Rubens Meister, em setembro foram iniciadas as obras de construção do Centro Comunitário da Paróquia, o qual, no ano seguinte, por ocasião da festa do Padroeiro, dia 22 de agosto de 1972, era inaugurado por Dom Pedro Fedalto e serviria, num primeiro momento, como igreja, sala de catequese, encontros e reuniões.

Neste mesmo ano o crescimento foi surpreendente: foram realizados encontros com adultos, jovens e adolescentes, o esclarecimento em torno da liturgia foi visto no envolvimento dos paroquianos com consequente ênfase na parte musical e aumento da participação nas missas. Foi criado o Grupo de Jovens e eles, por sua vez, contribuíram lançando o primeiro órgão informativo da Paróquia, o jornal “O Fermento”.

Em 1973, a fundação do Centro Comunitário Bom Pastor, com seu estatuto devidamente registrado, seria lembrada com o início da Campanha de Prevenção ao Câncer, Escola de Datilografia, criação do Clube de Mães, este último com cursos de corte-costura, pintura em gesso, tricô, crochê, noções de higiene, puericultura, economia doméstica e em plano, aulas de culinária. Neste mesmo ano, em junho foi iniciado o trabalho do Conselho Paroquial Pastoral – CPP.

Já em 1974, durante a visita Pastoral Paroquial, de 18 a 25 de agosto, o Padre Natálio solicitou a mudança do nome da Paróquia, o qual deixou de ser Transfiguração de Nosso Senhor Jesus Cristo e passou a ser Paróquia Bom Pastor de Vista Alegre.

Momentos marcantes passou a Paróquia Bom Pastor no ano de 1975, principalmente pela inauguração da Igreja Matriz no dia 31 de agosto e a chegada a 12 de janeiro das Irmãs Xaverianas Missionárias de Maria, instaladas ao lado da Capela de São João.

A missão do Padre Natálio até 1979 foi enorme e de muito e incansável trabalho, mas precisava partir para novos desafios, foi quando a 29 de julho, chamado a ser reitor da Casa Xaveriana de Formação em Désio na Itália, foi substituído pelo Padre Renato Gotti.

Durante a condução da Paróquia pelo Padre Renato, foi inaugurada a 20 de março de 1983, a Capela de São Francisco, na Vila Gália; o estímulo para a criação de grupos de reflexão e orações, a acentuação do trabalho de evangelização e criou o coral Bom Pastor.

Em 11 de abril de 1983 nova substituição aconteceu, assumindo a Paróquia o Padre João Mezzadri. No ano seguinte, o Seminário foi desativado e os padres Xaverianos foram transferidos para a Vila Antonieta. Com a distância do Padre na Paróquia, foi um tempo difícil, e a comunidade entendeu a necessidade da construção da Casa Paroquial.

Assim, no dia 26 de abril de 1987 acontecia a missa e benção da pedra Fundamental da Casa Paroquial, inaugurada dois anos depois, em 3 de dezembro.

Deste ano em diante, outros párocos vieram, trouxeram igualmente sua contribuição para o crescimento da Paróquia e nos entornos onde alcança as comunidades.

Atualmente, ainda há muito trabalho, a fé é contínua, há que crescer, mas, para tanto, a unidade é fundamental, o esforço não é e nem pode ser credita a um só, mas a todos que compõe a Paróquia e todos aqueles que querem contribuir, as portas estarão sempre abertas.

Nada mais oportuno do que lembrar o Salmo 23,

“O Senhor é o meu pastor, nada me faltará.

Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas.

Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.

Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.

Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.

Certamente que a bondade e a misericórdia do Senhor me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias.

Párocos e datas

Pe. Natálio Fornasier – 1968 – 1979

Pe. Renato Gotti – 1979 – 1983

Pe. Roberto Buzzetti – 1983 – 1983

Pe. João Mezzadri – 1983 – 1990

Pe. Cláudio Bícego – 1990 – 1993

Pe. Francisco Bertazza – 1993 – 1997

Pe. Stanislao Pirola – 1997-1998

Pe. Gian Luigi Tessarolo – 1998 – 2001

Pe. Roberto Fransolin – 2001 – 2004

Pe. Natálio Fornasier – 2004  – 2017

Pe. Felipe García Suárez  – 2017

A Igreja Bom Pastor na atualidade

Através dos documentos eclesiásticos as comunidades católicas podem impulsionar sua vida cotidiana para atividades concretas que iluminam o agir pastoral na atualidade.

Assim, a Paróquia Bom Pastor e suas outras três comunidades, São José, São João e São Francisco, seguem o que preconiza o Documento de Aparecida, texto conclusivo da V Conferência dos Bispos da América Latina e Caribe, cujo tema central é a missão: “Discípulos e Missionários em favor da Vida”, e, mais recentemente, com a Carta Encíclica do Santo Padre Bento XVI – Caritas in Veritate, sobre o desenvolvimento humano integral na caridade e na verdade.

Em 21 de novembro de 2009, a Paróquia realizou a sua Assembleia  Anual na qual teve como linha de reflexão a missionariedade como meio para renovar a comunidade. Os participantes discutiram assuntos de interesse paroquial em cinco grupos, a saber: Catequese e Missão; Liturgia e Missão; Movimentos Eclesiais e Missão; Os Novos âmbitos Missionários da Paróquia; Os Sacramentos e a Missão.

Com base nos resultados da Assembléia que nortearam o andamento da Paróquia no ano de 2010, o calendário anual prevê várias ações no que diz respeito à catequese de adultos e crianças, liturgia, movimentos, os sacramentos e o crescimento e atuação paroquial.

Além disso, o Conselho Paroquial de Pastoral – CPP, é forte e atuante na Paróquia, se reunindo uma vez por mês para encaminhar, avaliar, promover a união, trocar experiências, planejar em conjunto tudo o que diga respeito à realidade que cerca a Paróquia.

Em 25 de maio de 2007 foi criado o Instituto Bom Pastor de Ação Social. Mais tarde, em 22 de março de 2009, foi inaugurada a sede do Instituto em frente á igreja da Comunidade São José do Pilarzinho, à rua Gardênio Scorzato, 940.

O objetivo de sua criação e de sua sede é oferecer à população carente do entorno paroquial novas oportunidades de crescimento, desenvolvimento pessoal e financeiro, atendimento a algumas necessidades básicas e também a integração de profissionais atuantes que possam doar o seu tempo aos que necessitam. Ali são promovidos cursos profissionalizantes, atividades artesanais, cursos preparatórios, atendimento médico na área de odontologia, clínica geral e psicologia, atendimento com medicina alternativa como massoterapia e acupuntura, e ainda há outros projetos que vêm sendo estudados para futura implantação.

A Pastoral de Ação Social da Paróquia tem um conjunto de ações que procura chegar e concretizar em sinais solidários seu compromisso com os mais pobres. Na Paróquia as ações são descentralizadas e abrange todas as comunidades. São feitas visitas regulares às famílias, mantendo-se o cadastro atualizado; encaminhamento das mães à Pastoral da Criança; são recebidas crianças no Projeto Educativo do Instituto Palazzolo; é concedido cestas básicas, medicamentos, fraldas, aluguel, são providenciados documentos, enxoval de bebê, e ainda os sacramentos para aqueles que assim o desejam.

Os recursos utilizados para todas as ações são resultados de show de prêmios, bazares, doações espontâneas, domingo da caridade, do trabalho de grupos que se reúnem para atividades manuais, percentual do Dízimo, e bazares permanentes, além de convênios com instituições.

No que diz respeito á formação Paroquial, já há dois anos tem sido oferecido a Escola Bíblica, sob a coordenação do Padre Tomaz Hughes e assessoria do Apostolado Bíblico Verbo Divino. No primeiro ano foram abordados temas pertinentes ao Novo Testamento, no segundo temas do Antigo Testamento e este ano temas diversos como Salmos e Provérbios, Livro de Jonas, Cartas Pastorais. Também foram oferecidos cursos sobre a Liturgia, e palestras específicas sbore Drogatização, Missionariedade e a vida de Dom Guido Conforti, entre outras. Este ano de 2010, foi oferecida palestras sobre conteúdo básico da Ética Cristã, Como Criar Filhos na atualidade, Planejamento Familiar e Economia Doméstica. Na Paróquia são regularmente oferecidos também os cursos em preparação ao Batismo e o curso de Noivos, através da Pastoral Familiar.

No ano de 2009, foi realizado o casamento Comunitário com casais que já viviam juntos, e queriam regularizar sua situação perante a igreja Católica. Assim, 15 casais foram atendidos para este Sacramento, tendo inclusive a Preparação Prévia. Este ano há perspectivas para que isto torne a acontecer novamente.

Com relação ainda ao planejamento familiar, com a colaboração do Centro de Planejamento Natural da Família de Curitiba (CENPLAFAM), foi realizado o encontro para Vivência de Casais com a participação de 10 casais, cujo objetivo é fortalecer e dar vida nova ao relacionamento do casal. Este ano de 2010, já está marcado um novo Grupo. Com o auxílio dos Casais Guias das Equipes de Nossa Senhora, foi possível também realizar um Grupo de casais em crise para orientação e acompanhamento.

As obras nas igrejas são constantes em nossa Paróquia. No ano de 2008, foram concluídas as obras de reforma do salão paroquial da Igreja da Comunidade São Francisco Xavier e do Centro Catequético. Logo em seguida foi feito obras de reforma do salão da Comunidade São João e depois concluiu-se as obras do salão paroquial da igreja São José, no Pilarzinho.