Paróquia Bom Pastor

Em 1957 o Frei Agostinho Sartori, da ordem dos Capuchinhos da igreja das Mercês, iniciou a busca por um terreno no bairro Vista Alegre para a construção de uma igreja.

site14

Um terreno com área de pouco mais de 4 mil metros quadrados foi doado pela Prefeitura Municipal de Curitiba, durante a gestão do então prefeito Iberê de Matos. No local havia uma pequena escola, de propriedade da Sra. Maria Viezzer Hermann, que passou a servir de igreja.

No dia 18 de março de 1962, Frei Agostinho e Frei Cornélio, de Aratiba, celebraram a primeira missa no local, com a presença de pouco mais de 20 pessoas incluindo as Irmãs e crianças do Lar das Meninas.

Com a colaboração do prefeito Ivo Arzua Pereira vários serviços de terraplanagem foram executados e assim, os primeiros festejos foram realizados ali em 10 de junho de 1962, com o objetivo de arrecadar fundos e dar início às obras do Grupo Escolar com a Capela em anexo.

Em 1966 foram concluídos a ampliação do Grupo Escolar e o arrendamento da Casa Paroquial.

site8

Assim, no dia 22 de fevereiro de 1968, na sede do Arcebispado de Curitiba, Dom Manoel da Silveira D´Elboux, arcebispo metropolitano, lavrou o Decreto de criação da Paróquia da “Transfiguração de Nosso Senhor Jesus Cristo, de Vista Alegre, sub-bairro das Mercês”.

A instalação da nova Paróquia aconteceu no dia 3 de março de 1968, no pátio do Grupo Escolar “Bom Pastor”, e neste mesmo dia tomou posse o Primeiro Vigário, Padre Natálio Fornasier, o qual marcava a volta dos padres Xaverianos à cidade de Curitiba, após oito anos de ausência.

A nova Paróquia abrangia os bairros de Vista Alegre, Jardim Mercês, São João do Barigüi e parte do Pilarzinho.

Padre Natálio, que ainda morava com os Freis Capuchinhos e realizava suas refeições no Lar das Meninas, recebeu naquele dia 3 de março de 1968 um grande desafio: a jurisdição de uma Paróquia onde tudo estava por fazer.

site4

Em março de 1971 o terreno onde se encontrava o Grupo Escolar Bom Pastor passou a ser do governo, e em troca foi conseguido um outro terreno onde seria construída a nova igreja.

No dia 14 março de 1971, aconteceu a benção da pedra fundamental da futura matriz, e já em setembro, dava-se início às obras do Centro Comunitário, com projeto assinado pelo arquiteto Rubens Meister.

Em 22 de agosto de 1972, por ocasião da festa do Padroeiro era inaugurado o Salão, o qual num primeiro momento foi utilizado como igreja, sala de catequese, sala para reuniões e encontros.

Mais três anos se passaram, agora em 1974, durante a visita Pastoral Paroquial de Dom Pedro Fedalto, de 18 a 25 de agosto, Padre Natálio solicitou a mudança do nome da Paróquia, o qual deixou de ser Transfiguração de Nosso Senhor Jesus Cristo e passou a ser Paróquia Bom Pastor de Vista Alegre.

Desde sua criação a comunidade não deixou de crescer um só ano; foram vários os momentos marcantes, como a consciência sobre a liturgia organizada, a música nas missas, a necessidade dos encontros de casais, a fortaleza do grupo de jovens que criou o primeiro boletim informativo da Paróquia em 1972, chamado de “O Fermento”, a criação do Coral Bom Pastor, a ação social efetiva com a realização de cursos de corte costura, datilografia, puericultura entre outros.

Não menos marcante a chegada das Irmãs Xaverianas Missionárias de Maria, a 12 de janeiro de 1975, instaladas ao lado da Capela São João.

A inauguração, a 20 de março de 1983, da Capela de São Francisco, na Vila Gália, a caçula a integrar a Paróquia.

A construção da casa paroquial, inaugurada em 3 de dezembro de 1989.

A presença sempre constante e o trabalho incansável dos seminaristas Xaverianos, das Irmãs dos Pobres, Irmãs Vicentinas, Irmãs Angelinas e Irmãs Xaverianas.

Outros padres Xaverianos, além do Padre Natálio, sempre lembrados com carinho e afeição, trouxeram igualmente grandes contribuições para a Paróquia e nos entornos onde alcança as comunidades, contribuições estas muito além do campo material, muito mais espiritual onde a fé foi voz maior.

Comemorarmos 40 anos, é difícil contar a nossa história em breve relato, pois ela é permeada de carinho, união, trabalho, boa vontade, esperança e principalmente, de fé.

Podemos dizer que superamos muitos desafios, e ao mesmo tempo não podemos deixar nas sombras da lembrança que ainda há muito para crescer, há muito trabalho a ser realizado, novos desafios serão colocados mais à frente, e, para tanto, devemos ter claro: a unidade é fundamental, o esforço não e nem pode ser creditado a um só, mas a todos aqueles que compõe uma viva e ativa Paróquia, a Paróquia Bom Pastor!

“O Senhor é o meu pastor, nada me faltará“.

Salmo 23